top of page
Buscar
  • Foto do escritorNeoWater

Como calcular o impacto social e ambiental de uma solução alternativa de abastecimento

Do mesmo jeito que é possível calcular sua pegada de carbono, podemos estimar a pegada hídrica e o impacto que um sistema alternativo de abastecimento pode gerar na comunidade e no meio ambiente


Estação de tratamento de água (ETA) do Centro Universitário da Fundação Hermínio Ometto, implementada pela NeoWater em Araras, com plantas à frente.
Estação de tratamento de água (ETA) do Centro Universitário da Fundação Hermínio Ometto. Com abastecimento alternativo, a FHO passou a gerar no próprio campus 100% da água que utiliza, com 33% de economia. Mais de 800 mil litros de água potável que seriam desperdiçados mensalmente passaram a estar disponíveis para atender mais de 50 famílias na cidade de Araras. Além disso, a geração de quase 3.000 toneladas de lodo residual ao mês foi evitada.

Você já deve ter ouvido falar de pegada de carbono, pode até já ter usado uma calculadora para medir o impacto de suas atividades ou mesmo ter comprado créditos de carbono a fim de compensá-las.


Caso não saiba do que estou falando, a pegada de carbono representa o volume total de gases de efeito estufa gerado pelas atividades econômicas e cotidianas do ser humano. Uma vez que sabemos da importância de preservar o meio ambiente e conter as mudanças climáticas, conhecer esse dado nos ajuda a implementar as estratégias necessárias a fim de reduzir nossa pegada.


Mas será que essa é a única medida necessária para cumprir os objetivos de desenvolvimento sustentável da ONU?


Não. É preciso olhar para – e calcular – o nosso impacto em muitas outras áreas, sendo a nossa pegada hídrica uma das principais. Em um mundo com secas cada vez mais severas, você sabe dizer quanto seu negócio gasta com água? E onde e como poderia reduzir esse consumo?


Entenda abaixo como calcular a pegada hídrica de sua empresa e conheça, em números, o impacto social e ambiental que a implementação de soluções alternativas pode ter:


Pegada hídrica: onde você mais gasta água e como poderia economizar?


Todos podemos diminuir nosso consumo de água. Porém, há uma pressão maior para que as empresas e indústrias façam isso, uma vez que sua pegada hídrica tem um impacto bem mais significativo.


Com o problema crescente de eventos climáticos extremos, incluindo escassez, empresas expostas ao risco hídrico correm sérios riscos financeiros também. Por fim, se não se tornarem mais sustentáveis, podem perder não só clientes, mas valor de mercado também, já que práticas ESG têm sido cada vez mais exigidas por investidores.


Mas como calcular sua pegada hídrica e saber onde agir?


Existe uma metodologia para mensurar a quantidade de água utilizada por pessoas e produtos, criada em 2002 por Arjen Hoekstra, então integrante do Instituto de Educação da Água da UNESCO. Mas esse método talvez seja um pouco abstrato para o cenário real de sua empresa.


Saber exatamente como a água é usada em seu negócio é o primeiro passo para uma gestão hídrica mais eficiente. Isso é praticamente impossível sem um mapeamento do consumo em diferentes pontos da sua planta ou linha de produção.


Um bom mapeamento hídrico envolve identificar todas as fontes de abastecimento de água da sua empresa, potáveis ou não, determinar seus padrões de consumo e níveis de desperdício, e estimar a quantidade de resíduos (ou efluentes) gerada em cada um desses pontos.


Com esses dados, as oportunidades se tornam evidentes: quanto da água que a empresa usa não precisa ser potável? Onde mais se gasta água, e como? Existem falhas na distribuição que causam vazamento, ou equipamentos ineficientes?


Você pode descobrir tudo isso através de um estudo da sua conta de água aliado a um monitoramento IoT 24 horas dos pontos de consumo de sua empresa, com relatórios em tempo real e gráficos que mostram os padrões de comportamento.


A partir daí, pode bolar um plano para redução do consumo, sendo que o melhor deles é sem dúvida ter um sistema alternativo de captação e tratamento de água onsite, com fontes e tecnologias mais sustentáveis e zero desperdício. Entenda melhor com o case abaixo.


Case: o impacto social e ambiental de uma solução alternativa de abastecimento


O monitoramento IoT 24 horas, por si só, pode lhe ajudar a economizar água. Com os dados e padrões estabelecidos, você pode tomar medidas inteligentes, além de identificar vazamentos e falhas em tempo real, evitando prejuízos.


No entanto, para aumentar a sustentabilidade de seu negócio, o ideal é não depender de fontes como concessionárias de saneamento e caminhões-pipa, por exemplo.


As concessionárias, de acordo com o mais recente estudo do Instituto Trata Brasil, desperdiçam cerca de 8.000 piscinas olímpicas de água tratada por dia, o equivalente a 40,3%, na distribuição. Esse número, infelizmente, vem subindo em relação aos relatórios anteriores. Você pode ler a íntegra da edição “Perdas de Água 2023 (SNIS 2021): Desafios para Disponibilidade Hídrica e Avanço da Eficiência do Saneamento Básico no Brasil” aqui.


Outro problema é que as concessionárias captam água, em sua maior parte, de fontes superficiais altamente contaminadas, o que exige tratamentos complexos e cheios de produtos químicos pouco amigos do meio ambiente.


Os caminhões-pipa não ficam muito atrás: também são sujeitos a perdas na distribuição, além de queimarem diesel para levar água tratada até os pontos de consumo e de nem sempre terem qualidade da água atestada.


Ao implementar um sistema alternativo em sua própria planta, com soluções como poços artesianos, captação de água da chuva, tratamento de efluentes sanitários para reuso e monitoramento IoT, por exemplo, você pode eliminar todos esses problemas.


Imagine que você é uma empresa de médio porte que consome aproximadamente 1.500m³ de água por mês.


Ao não usar a água de sua concessionária local, você deixa de desperdiçar até 1 milhão de litros ao mês. Além disso, disponibiliza água para abastecer cerca de 454 pessoas na sua comunidade*, e evita a geração de 125 toneladas de lodo residual no processo de tratamento dessa água, quantia que seria destinada aos aterros caso este processo fosse realizado em uma estação de tratamento de água convencional após captação superficial.


Além de disponibilizar mais água tratada para a sociedade e contribuir para a diminuição da geração de resíduos, ter um abastecimento mais eficiente, sem perdas e com reaproveitamento de água o fará economizar de 30% a mais de 50% na conta de água.

Placa que descreve os avanços sustentáveis após implementação de sistema de abastecimento alternativo na Sogefi Suspension Brasil, fábrica de autopeças em Mogi-Mirim.
Placa que descreve os avanços sustentáveis após implementação de sistema de abastecimento alternativo na Sogefi Suspension Brasil, fábrica de autopeças em Mogi-Mirim.

Confira aqui exemplos reais de sistemas implementados pela NeoWater nos mais diferentes empreendimentos, de centros logísticos a indústrias, universidades, data centers, shoppings e hotéis, e veja como essa economia é possível.


Quero ter um sistema alternativo de abastecimento sustentável em minha empresa


Se você busca captação ou tratamento de água alternativos, pode optar por um modelo de negócios chamado WAAS (“Water as a Service”).


O WAAS é uma modalidade do tipo BOT ideal para que quem quer aumentar a qualidade e a segurança hídrica de seu negócio, bem como economizar na conta de água. Ela é implantada pela NeoWater, que fica responsável por projetar, operar e manter diferentes soluções personalizadas para o seu empreendimento, incluindo poços, ETAs, ETEs e monitoramento.


A NeoWater também é a responsável legal e sanitária por todo o sistema de abastecimento, incluindo todas as licenças ambientais necessárias e as análises de água periódicas.


A melhor parte é que não é necessário fazer nenhum investimento para ter água na quantidade ou qualidade desejada. A modalidade funciona sob contrato, e você paga somente pelo serviço customizado prestado à sua empresa – a uma tarifa muito inferior das praticadas por concessionárias e caminhões-pipa.

Quer saber mais sobre o WAAS? Fale conosco! Nossos especialistas estão prontos para entender sua demanda e te explicar em detalhes como podemos te ajudar.

*De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), cada pessoa necessita de 3,3 mil litros de água por mês (cerca de 110 litros de água por dia) para atender às necessidades de consumo e higiene. No Brasil, no entanto, este consumo pode chegar a mais de 200 litros/dia. Quanto ao lodo, estima-se que uma ETA convencional produza cerca de 50g de lodo por litro de água tratada (Richard, 2001).

Comentarios


FALE CONOSCO

Deixe sua mensagem abaixo

Obrigado pelo envio! Logo mais alguém te liga.

bottom of page