Buscar
  • NeoWater

Balanço hídrico: por que você deve mapear o consumo de água da sua empresa

Atualizado: Abr 21

Você sabe o que é pegada hídrica e por que é tão importante conhecer a da sua empresa? Saiba calcular o balanço hídrico de sua empresa para reduzir o consumo de água


Pegada hídrica: mão em concha pegando água

A pegada hídrica é um indicador do volume de água total usado durante a produção e o consumo de bens e serviços.


Da mesma forma que a pegada de carbono, conhecer a pegada hídrica de um produto ou de uma indústria nos ajuda a conhecer o impacto da ação do homem no ambiente.


E, em tempos de crise global da água, é de extrema importância ficar atento a como as empresas gastam esse recurso.



Enquanto os consumidores podem (e devem) considerar a pegada hídrica de produtos e serviços antes de adquiri-los, é papel das companhias realizar balanços hídricos para saber onde e como estão utilizando água, a fim de reduzir seu consumo e sua pegada hídrica.


Saiba abaixo o que significa a pegada hídrica e como fazer o balanço hídrico de sua empresa a fim de diminuir o seu consumo de água, preservando esse recurso e economizando na conta.


Pegada hídrica: conceito


O conceito de pegada hídrica foi criado em 2002 por Arjen Hoekstra, então integrante do Instituto de Educação da Água da UNESCO, como uma metodologia para mensurar a quantidade de água utilizada por pessoas, produtos, cidades e países.


Atualmente, essa métrica é classificada em três tipos: verde, azul e cinza.


A pegada hídrica verde está relacionada à água da chuva que evapora ou é adicionada a produtos durante o processo de produção.


A pegada hídrica azul está relacionada com as águas superficiais ou subterrâneas que evaporam, são agregadas a produtos ou são devolvidas ao meio ambiente.


Por fim, a pegada hídrica cinza está relacionada com o volume de água necessário para diluir a poluição gerada durante o processo produtivo.


Outro conceito que tem se tornado famoso é o de água virtual, criado pelo professor John Anthony Allan da University of London, e estudado por Hoekstra e outros pesquisadores.


A água virtual é a medida da água contida em um produto ou serviço em relação ao volume de água doce utilizado nas diversas fases de sua cadeia produtiva.


E por que virtual? Bom, a maior parte da água utilizada na produção de um produto não fica nele, e sim é gasta em sua produção e distribuição; logo, é “invisível” para os consumidores.


Indústria e água: pressão por uma gestão hídrica sustentável e eficiente


Todos nós podemos fazer nossa parte para diminuir o consumo de água, tomando banhos mais rápidos, ou não lavando a calçada, por exemplo.


No entanto, há uma pressão muito maior para que as indústrias diminuam sua pegada hídrica e evitem fabricar ou cultivar produtos que gastam muita água virtual, uma vez que o impacto do consumo de água das empresas é bem maior do que o doméstico.


De acordo com o estudo "Água: debate estratégico para brasileiros e angolanos" feito pela USP, a indústria é a segunda maior consumidora de água do mundo, utilizando 24% desse recurso, depois apenas da agricultura (responsável por cerca de 65% a 70% do consumo). O uso doméstico é de apenas 8% a 10%.


A pegada hídrica de uma empresa tende a ficar cada vez mais evidente para o consumidor, o que pode prejudicar a imagem dos negócios que não fizerem esforços para se tornar mais sustentáveis.


E pode doer muito no bolso, não só através da perda de clientes.



Com o problema crescente da falta de água, empresas expostas ao risco hídrico correm sérios riscos financeiros também, bem como perdem valor (valuation), uma vez que empresas sustentáveis se saem cada vez melhor no mercado financeiro (saiba mais aqui).


A recomendação da Water Footprint Network, organização sem fins lucrativos fundada por Hoekstra, é que as empresas foquem na melhor gestão de água possível – e o caminho para isso começa com um bom balanço hídrico.


Como (e por que) fazer o balanço hídrico de sua empresa


De acordo com a Water Footprint, a preocupação com a água no setor privado está aumentando rapidamente.


“Empresas em todo o mundo estão reconhecendo que a água é um ingrediente essencial em suas operações comerciais e a falta de acesso a quantidades ou qualidade suficientes de água representa um risco material para um número crescente de empresas” - Water Footprint Network

Tendo em vista que o Brasil passa por problemas de abastecimento e aumento no custo desse serviço há mais de cinco anos, fica claro porque as empresas devem fazer de tudo para diminuir seu consumo – essa não é só uma questão ambiental, mas principalmente de sobrevivência e economia.


Saber como a água é usada em seu negócio é primeiro passo para reduzir o consumo e ter uma gestão hídrica mais eficiente.


É praticamente impossível realizar uma boa gestão da água sem mapear o gasto e ter o controle dos números - não só do consumo, mas também do desperdício dentro de cada setor da empresa.



O balanço hídrico envolve identificar todas as fontes de abastecimento de água da empresa, todos os pontos em que a água – potável ou não potável – é utilizada e em qual quantidade, determinar o nível de desperdício e estimar a quantidade de resíduos (ou efluentes) gerada em cada ponto da cadeia produtiva.


Somente após o balanço é que as oportunidades se tornam evidentes: quanto da água que a empresa usa não precisa ser potável? Onde mais se gasta água, e como? Existem falhas na distribuição que causam vazamento, ou equipamentos ineficientes?


Com esses dados, é possível desenhar um plano que faça a maior diferença, ou seja, com o melhor custo-benefício.


De captação de água de fontes alternativas a estações de tratamento de efluentes para reuso, o investimento mais adequado para redução do consumo e desperdício pode ser feito.



Se interessou? Entre em contato conosco e saiba mais sobre nosso serviço de balanço hídrico e diversas outras soluções de eficiência hídrica!


1 comentário