top of page
Buscar
  • Foto do escritorNeoWater

ONU: dois terços da população mundial sofrerão com escassez hídrica até 2025

Devido à crise climática e ao mau uso de recursos hídricos, bilhões de pessoas podem sofrer com falta d’água nos próximos anos. Saiba como o setor empresarial pode ajudar a reverter esse quadro


Grupo de pessoas segurando uma faixa com a ODS 6 da ONU, sobre água limpa e saneamento, na Conferência de Água da ONU 2023. Leia mais no site da Neowater.

Segundo a Organização das Nações Unidas (ONU), até 2023, haverá uma lacuna de 40% entre a oferta e a demanda pela água no mundo. Devido à crise climática e ao mau uso de recursos hídricos, dois terços da população mundial podem sofrer com escassez até 2025.


Considerando a projeção do crescimento populacional dos próximos anos, isso equivale a mais de 5,46 bilhões de pessoas.


Esses dados foram apresentados durante a primeira Conferência Mundial da Água (UN Water Conference 2023), realizada em março deste ano em Nova York, nos Estados Unidos.


“A ONU também aponta que em 2030 teremos 700 milhões de pessoas em risco de deslocamento, que terão que migrar pela falta d’água”, alertou Carlo Pereira, CEO do Pacto Global no Brasil, rede que representa a nível nacional o Pacto sobre os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e a Agenda 2030 da ONU, à CNN Rádio.


Confira o que foi discutido na convenção, qual o papel do setor empresarial nas metas propostas e como o seu negócio pode ajudar a cumprir o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável nº 6 da ONU:


Primeira Conferência Mundial da Água


Após 46 anos de espera, finalmente saiu a primeira Conferência Mundial da Água. Ao contrário de outras convenções promovidas pela ONU, nessa não houve acordos ou tratados internacionais. Uma vez que não há fronteira entre as águas das nações, definições de acordos políticos e diplomáticos seriam muito difíceis.


O objetivo da reunião foi outro: engajar países membros, agências, organizações da sociedade civil e o setor empresarial na proposição de iniciativas, assim como acelerar a Agenda 2030 da ONU.


A abertura ocorreu no dia 22 de março, conhecido como o Dia Mundial da Água, e as discussões se desenrolaram por três dias.


O Brasil participou da Plenária da ONU no dia 23. O Secretário-Executivo do Ministério do Meio Ambiente e de Mudanças do Clima, João Paulo Capobianco, discorreu brevemente sobre a necessidade de segurança hídrica e acessibilidade, tendo em vista que quase 35 milhões de pessoas no país não tem à água potável hoje.


Participação do setor empresarial: aumentando a eficiência hídrica


O Pacto Global no Brasil fez um pedido especial para as empresas se comprometerem com o Movimento + Água, assumindo compromissos públicos de segurança hídrica e acesso ao saneamento básico. A Coca-Cola Brasil e a Heineken Brasil se juntaram a outras 22 empresas para trabalhar nas metas propostas.


Uma delas é o aumento de 25% da eficiência do uso da água para o setor empresarial até 2030.


A nível internacional, Water Mandate, do Pacto Global dos Estados Unidos, convocou empresas para se comprometerem com 100 bacias hidrográficas prioritárias no mundo, algumas delas no Brasil.


O papel do setor empresarial é fundamental: essas responsabilidades são uma forma de acelerar o cumprimento do ODS 06 (o Objetivo de Desenvolvimento Sustentável referente à água potável e saneamento) e de pressionar a agenda pública para ações coletivas.


Mais sustentabilidade e eficiência: como sua empresa pode ajudar?


Existem diversas ações alinhadas ao ODS 06 que sua empresa pode tomar, começando pela meta proposta ao setor empresarial de aumentar a eficiência hídrica.


O desperdício de água potável é um problema grave no país. De acordo com o último relatório do Instituto Trata Brasil, mais de 40% da água tratada é perdida na distribuição. Com sistemas de abastecimento alternativo, com poços artesianos, captação de água da chuva e outras formas de reuso, é possível otimizar o consumo desse recurso em sua própria planta e eliminar tais falhas na distribuição.


A utilização de tecnologia IoT, com monitoramento constante do uso de água, também ajuda na sua otimização e na identificação e rápida correção de desperdícios e vazamentos.


Possuir estações de tratamento da água e de efluentes onsite ainda pode evitar poluição dos rios e lagos e despejo de esgoto no meio ambiente e na rede pública. Por exemplo, ETEs com reuso diminuem o consumo de água potável, aumentam a segurança operacional e contribuem para uma gestão hídrica ecologicamente amigável.


Implementar todas essas ações certamente trará muitos benefícios à sua empresa e ao país, mas sabemos que coordenar esforços, reunir uma equipe técnica capacitada e fazer os investimentos necessários não é tão simples.


Para isso, existe uma excelente alternativa no mercado: o modelo de negócios do tipo BOT chamado WAAS (“Water as a Service”), da empresa de saneamento NeoWater.


A NeoWater atua projetando, implementando, operando e mantendo as melhores soluções para sua empresa, sem necessidade de investimentos (Capex ou Opex) ou qualquer dor de cabeça, trazendo sustentabilidade com economia de forma personalizada e onsite. O modelo funciona sob contrato com transferência de ativos ao final.

Quer saber mais sobre o WAAS? Clique aqui ou entre em contato conosco! Nossa equipe de especialistas está pronta para lhe ajudar a ter um sistema de abastecimento próprio com as melhores práticas de eficiência hídrica e sustentabilidade do mundo.

Comments


FALE CONOSCO

Deixe sua mensagem abaixo

Obrigado pelo envio! Logo mais alguém te liga.

bottom of page