Buscar
  • NeoWater

Entenda por que ser sustentável é uma vantagem competitiva

Atualizado: Ago 23

Ser sustentável não é caro, pelo contrário: é cada vez mais uma vantagem para as empresas e essencial para os negócios se destacarem e lucrarem mais. Entenda como


Sustentabilidade como vantagem competitiva: árvores crescendo em cima de pilhas cada vez maiores de moedas

O tema da sustentabilidade como vantagem competitiva para as empresas tem crescido muito nos últimos anos.


Os motivos são simples: poluir está cada vez mais caro, ao passo que a implementação de soluções sustentáveis economiza muito dinheiro e é muito bem-vista pela sociedade, levando os consumidores a valorizarem mais uma marca e até pagarem mais por um produto, bem como os investidores a apostarem mais em seu negócio.


Economia nas contas, valorização da marca, aumento do valor dos produtos e do valuation da empresa = maior rentabilidade.


Em outras palavras, hoje em dia, para sobreviver em um mercado cada vez mais acirrado, global e consciente, quase nada se compara à vantagem competitiva trazida pela sustentabilidade.


Por que a sustentabilidade é uma vantagem?


Desde 2014, diversas pesquisas têm sido feitas sobre esse assunto, e os dados apontam claramente para o sucesso econômico da estratégia sustentável.


Algumas das principais razões para isso são:


Legislação ambiental: poluir é cada vez mais caro


A legislação ambiental tem avançado muito, no Brasil e em outros cantos do mundo. São tantas leis que fica até difícil mencionar todas.


A título de exemplo, no entanto, podemos citar a de número 6.938, que dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente.


Essa lei criou a obrigatoriedade de estudos e relatórios de impacto ambiental por parte das empresas, bem como impôs a recuperação ou indenização dos danos ambientais causados por elas. Em outras palavras, poluir gera custos altos.


Pouco tempo atrás, quando a legislação brasileira apertou e os crimes ambientais se tornaram mais graves, algumas empresas mudaram suas operações de país. Essa definitivamente não é uma boa solução – a sustentabilidade é uma tendência global, e se antecipar a ela é a verdadeira vantagem competitiva.


Ao contrário da suposição de muitos, estar em conformidade com os decretos e regulamentações não é tão difícil, muitos menos caro. Primeiro porque poluir pode sair ainda mais custoso; depois porque já existem diversas soluções para se adequar à nova realidade e ainda economizar dinheiro (que você pode conferir mais abaixo).


Não ser sustentável pega mal


Uma infinidade de pesquisas indica que o consumidor prefere produtos e empresas mais sustentáveis.


Um estudo da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) mostrou que boa parte dos consumidores topariam pagar 10% ou mais do valor do imóvel se ele apresentar inovações que resultem em maior economia, segurança, conforto e sustentabilidade ambiental.


Este percentual cresce na proporção em que aumenta o nível de escolaridade dos entrevistados, chegando a 61,4% de aprovação na faixa com renda superior a 20 salários-mínimos.


Estamos falando, por exemplo, de prédios com energia solar ou água de reuso, que geram economia em duas contas importantes.



Outra pesquisa de 2014 do Instituto Akatu revelou os seguintes dados:

Dados da pesquisa do Instituto Akatu sobre hábitos dos consumidores brasileiros
Como é possível perceber, os brasileiros se importam mais com boas práticas ambientais e marcas sustentáveis do que marcas tradicionais ou famosas

O mesmo instituto, em parceria com a GlobeScan, fez uma pesquisa em 2020 levando em conta o susto ambiental gerado pela pandemia de Covid-19.


As conclusões? Mais de 80% dos consumidores brasileiros esperam que as empresas sejam mais transparentes sobre os seus processos produtivos; mais de 70% também esperam que as empresas não agridam o meio ambiente; e mais de 60% esperam que as empresas estabeleçam metas para tornar o mundo melhor.


Outro estudo pós-pandemia do Getty Images com mais de 5 mil entrevistados distribuídos em 26 países concluiu que 81% deles espera que as empresas sejam ambientalmente conscientes.


Por fim, uma pesquisa realizada pelo Union + Webster apontou que 87% dos consumidores brasileiros preferem comprar de empresas sustentáveis, enquanto 70% dos entrevistados não se importam em pagar um pouco mais por isso.


Vale apontar ainda que, atualmente, o segundo maior público consumidor do país - 24% da população brasileira - é proveniente da chamada geração Z, ou seja, pessoas nascidas entre 1999 e 2019.


Elas já têm uma relação diferente com o meio ambiente do que as gerações anteriores, de forma que pensar sustentável não é só pensar no futuro - é uma vantagem também aqui e agora.


Investidores e CEOs estão antenados com o tema da sustentabilidade


A sexta edição do estudo CEO Outlook, de 2020, revelou que a sustentabilidade ganhou mais destaque entre as prioridades dos CEOs do mundo todo.


60% dos líderes de negócios brasileiros e 71% dos globais se importam com o combate às mudanças climáticas. Se você não se importa, certamente ficará para trás.


Outros dados que chamam a atenção vêm do mundo dos investimentos. De acordo com Tim Quinson, da Bloomberg Green, a demanda por “investimentos verdes” é enorme, o que é bem exemplificado pelos fundos com foco em ESG, com fluxo de caixa positivo há 50 semanas consecutivas.


Segundo dados da BlackRock, a maior gestora de ativos no mundo, de janeiro a novembro de 2020, investidores alocaram US$ 288 bilhões globalmente em ativos sustentáveis, uma alta de 96% em relação a 2019.


Não só cada vez mais dinheiro é colocado em negócios sustentáveis, como eles têm se mostrado bastante lucrativos também – em diversas comparações, fundos sustentáveis levaram a melhor sobre outros índices, inclusive o Ibovespa.



É importante apontar ainda que o critério da sustentabilidade é levado em conta por 85,4% dos gestores de investimentos no Brasil, como JGP, Santander Asset, Indie Capital, Brasil Capital, Itaú, Fama e Constellation.


Os bancos têm ainda criado linhas de financiamento e áreas de investimento específicos para produtos ESG, casos da XP, BTG Pactual, Itaú e Caixa Econômica Federal.


Em resumo, se você quer ser notado pelos bancos e pelos investidores, ser mais sustentável é um bom caminho.


Custos operacionais reduzidos


Por último, mas não menos importante, ser mais sustentável pode gerar economia nas suas contas.


Pense em alternativas como energia renovável via painéis solares fotovoltaicos, reaproveitamento de água da chuva, estação de tratamento de efluentes compacta para água de reuso, captação de água subterrânea, IoT para monitoramento constante de problemas operacionais, falhas, vazamentos e muito mais.


Essas são todas ações que podem fazer uma diferença enorme na conta de energia e água, além de contribuírem com a sustentabilidade ambiental.


Sei o que você está pensando: será que o custo de implementação, operação e/ou manutenção dessas soluções é atrativo? Será que sua empresa tem capital para optar por um payback de longo prazo?


Felizmente, existem modelos de negócio que implementam as soluções sustentáveis mais adequadas para a sua empresa sem necessidade alguma de investimento ou dor de cabeça com operação e manutenção (saiba mais aqui).


Se interessou? Entre em contato conosco! Nossa equipe pode te ajudar a se tornar uma empresa sustentável e cada vez mais lucrativa e competitiva.